A boa violência

Shibari, do theobscura.org

Era uma vez outra biscate – que já contei tantas histórias de biscates nessas sextas-feiras, não? – e ponto.
Essa biscate era antenada. Ligada. Pós-modernizada. Defendia o direito biscate aqui e ali. Falava de liberdade, falava de opressão. Reivindicava. Suava. Biscate que dava.

Tinha um segredo.

Não dizia a ninguém, tinha medo.

Essa biscate, tão feminista, fantasiava submissa. De quatro, amarrada, couro e correntes, apanhava. Xingava, gritava e gozava de dor.
A biscate gostava era de violência. Difícil assumir. Apontavam-lhe dedos, discursavam nos mais diversos palanques: sobre a fantasia, a pornografia, a dominação.

Até que assumiu. Assumiu e, como biscate que era, bancou.

Pois qual não foi a surpresa das outras – feministas mas tão, tão moralistas – descobrindo que a violência podia sim, ser liberdade. Biscatagem da mais pura, autêntica: bastava que ela dissesse “sim – faço porque quero”.

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

15 ideias sobre “A boa violência

  1. A bisca aí quebra tabu, viu! Isso mesmo, a violência, nesse caso, deixa de ter essa conotação ofensiva e passa a ser considerada “boa” por expressar a livre escolha da mulher. Liberdade de ser e de sentir o que se deseja!

  2. Amei, Mari! Post libertador, libertário. o/
    Não interessa do que gostamos a não ser a nós mesmas. Não admito que ninguém — nem mesmo as feministas — determine o que devo ser, gostar ou agir. Sou livre para ser o que sou e assumir isso, sambando na cara dessa sociedade moralista e hipócrita. Não é nos prendendo a conceitos e comportamentos preconcebidos que iremos nos libertar.
    Ser feminista é poder ser o que quiser, inclusive biscate.
    Beijo!

  3. Adorei!

    Sempre acreditei que entre 4 paredes vale tudo, desde que seja consentido pelos dois e que ninguém se sinta nem constrangid@ e nem humilhad@.

    Bjusss

  4. Bão. Eu não vi polêmica aqui 😛
    Posso polemizar, então? Violência consentida é violência?

    Vamos lá moçada, quero um post sobre sadomasoquismo aqui… Conceitos! Conceitua aí pro povo não sair batendo a torto e a direito e repetindo aquele bordão horroroso de que “toda mulher gosta de apanhar”. Até porque isso não está no post, mas né, vamos desenhar porque pra quem não tem a menor familiaridade com o assunto seria bom uma seqüência desse post, mais explicadinha… Bejos!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *