Biscate Imperatriz!

Não consigo viver sem sexo. Foi muito difícil ficar sem, mas dei o meu jeito. Afinal, é saudável e muito bom.

Biscate. Frase de biscate. De biscate de categoria.

Só não acho legal sem amor. Gosto de estar com alguém, de trocar carinho, dormir agarradinha, de conchinha”, disse

E quem não gosta? E a liberdade de fazer com ou sem amor? Se você gosta com amor, é muito bom, mas sabe também que sem amor, também tem que ser bom.

. Para satisfazer seu desejo sexual durante o confinamento,  confessa que chegou até a se masturbar “algumas vezes”. “Não tenho problema nenhum com isso, nenhum tabu. Tudo é válido. É bom a gente se conhecer para poder dizer o que gosta e ensinar ao parceiro. É muito gostoso. Eu recomendo”, contou.

Gente, uma mulher que se masturba, e que conta que fez isso, em uma casa onde ficou confinada por semanas, sendo (quase) tudo filmado? Biscate, só pode.

Mas qual biscate? Afinal, é uma quinta de cultura, quem é a biscate da vez? Ela se apresenta:

Antes me conheciam como a Joana, ex-namorada do Adriano, barraqueira, que quebrava tudo. Fiz isso tudo sim, mas fiz por amor, porque amava muito o Adriano. E faço isso até hoje pelos que eu amo. Acho que foi uma forma de mostrar para as pessoas que tudo que eu fiz foi por amor, foi porque eu acreditava no meu relacionamento com ele. Meu maior prêmio foi passar a Joana para o público. Então, eu acho que provei. Para ele, nem tanto, porque ele já sabia que eu era guerreira, que eu era capaz, e em qualquer momento que encontrá-lo ele vai me parabenizar. Sou desse jeito mesmo, por isso ele gostou tanto de mim.

Joana Machado - Biscate de categoria

Joana Machado. Personal trainer carioca, ficou famosa como namorada do jogador de futebol Adriano (Noooossaaa!! Assim você me mata! – pra ele eu cantaria na versão da Sharon!), e ao lado dele, protagonizou alguns “barracos”, o que lhe rendeu a fama de, além de “maria-chuteira”, barraqueira.

Ouvi falar dela pela primeira vez em 2010, no tal episódio do baile funk. Episódio que ficou marcado pela declaração infeliz (e merecedora do prêmio “ironia do destino”) do então goleiro do Flamengo, Bruno, ele, que atualmente está preso pelo homicídio de Elisa Samudio.

E em 2011, mesmo sem acompanhar o programa, ao vivo, acompanhava pela Patríciaa, no Eu te amo, porra, e  fiquei sabendo que ela, Joana, estava entre os participantes.

Acho que com esse post eu realmente me apaixonei pela Joana.

E na final, fiquei acompanhando, uma final de reality show de “subcelebridade”, que depois de ter nos quadros homens machistas e homofóbicos, terminou com três mulheres de péssima fama – biscates, todas!

Poderosa!!!

Monique Evans, a deusa de uma geração, década de 80, corpão bronzeado. Acho que “Totalmente demais” do Hanoi Hanoi deve ter se inspirado nela…

Rachel Pacheco, a Bruna Surfistinha. Ex-prostituta. Sempre puta, para os padrões de alguns tantos.

E ela: Joana Machado.

A Imperatriz. Só que agora, imperatriz por mérito próprio, ao se despir, não das roupas, porque isso é fácil demais, demais, é o esperado dela. Não. Ela fez mais. Ela cometeu o inesperado de se revelar pessoa.

A cena que lhe garantiu o prêmio: encarar o preconceito e não aceitar desaforo e nem julgamentos de ninguém!

Pessoa com força descomunal que é frágil, que faz merda, que fala merda, que apronta, faz escândalo.

Pessoa frágil, que erra, que quer sexo com amor, dormir de conchinha, e que é forte de verdade, da força que vem de dizer algumas verdades.

Não engole o choro, e muito menos, desaforo

Foi manipulada, a final de “A Fazenda”, na qual a biscate ganhou dois milhões? Lógico que foi, não sou burrinha – nem me faço de, nunca consegui.

Mas por manipulado que tenha sido, ela levou. Levou o prêmio e levou meu coração. (mesmo que ela hoje esteja fazendo merchandising para técnicas de lipo-algumacoisa-absurda porque ela NÃO precisa – na minha opinião, claro – é a vida dela, no mundo que ela escolheu, e não vou ser EU quem vai julgar as escolhas de ninguém, desde que não cometam nenhum crime, claro! ^^)

Ela, Geisy Arruda, Maria do BBB, Monique Evans, Rachel Pacheco. Valeska Popozuda. Dercy Gonçalves. Leila Diniz. Simone. Gilda. Joana Darc. Maria Madalena. Lilith.

A tríade de biscates - Joana, Monique e Rachel - A Fazenda

Em todas elas, eu vejo Genis e Bolas de Sebo. (o post original era pra ser sobre a Geni do Chico, mas, não me apedrejem, não sou assim tão fã dos velhos olhos de ardósia  para tentar vir aqui escrever sobre ele, mesmo conhecendo a letra e já tendo lido o conto que o inspirou, Bola de Sebo, de Guy de Maupassant)

A mulher apedrejada, que é bajulada enquanto é útil, e desprezada no momento seguinte.

A mulher que faz o que quer, e arca com as consequências.

A biscate.

Biscate que ama, ri, sofre, chora, trepa, tem bafo matinal, acorda com os olhos inchados de sono, que trepa com muitos e muitas ou só com um a vida toda, sempre dormindo de conchinha.

Porque o sexo é só parte do que é ser biscate. – parte importante, óbvio, por isso incomodamos tanto, nós, biscates, que gostamos da “coisa”.

Mas o essencial é a essência e a multiplicidade de ser uma e várias, de não ser uniforme, nem homogênea.

[+] Se você não viu a Fazenda e não faz idéia do que rolou, cheque aqui que descobre, na visão perfeita e elucidativa da Patriciaaa…

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

13 ideias sobre “Biscate Imperatriz!

  1. Eu acho esses trem de reality show uns imensa buesta, no portunhol safado de nosotros, mas uma avaliação dessa é de se suspirar.
    Até pq são sim um poço de homofobia e machismo dos machões musculosos metrossexuais limpinhos. Em um mundo que confunde sensibilidade com ausência de pelos não é de se estranhar.

    Enfim, uma das coisas que mais me incomodou sempre no julgamentos das moças, inclusive das supracitadas, foi o corte crítico aplicado à como elas dão a xoxota e não o como são ou deixam de ser… E o “barraqueira” é título grátis pra toda mulher que age como um homem agiria, ou seja, quando é homem é atitude, quando é moça e “barraqueira”.

    Então, perfeito o texto.

    • Girson,
      adorei seu comentário, docinho!
      Especialmente esse trecho:
      “barraqueira” é título grátis pra toda mulher que age como um homem agiria, ou seja, quando é homem é atitude, quando é moça e “barraqueira”
      Dois pesos, para a mesma medida: não levar desaforo, falar na cara, isso é “coisa de homem”, é agir feito “homem”. Mulher tem que ficar calada? Ou senão, vai ser “vulgar”, “barraqueira”, ad nauseam…
      Beijos e volte sempre!

  2. Eu vi uns episódios desta edição da Fazenda e achava o máximo a Bolina ( é isso mesmo?) palitando os dentes, sentando de perna aberta, tirando calcinha da bunda e peidando em plena TV.. Affe! Porque biscate que é biscate não precisa se comportar feito mocinha em público ;-()

    • Eu não via, só assisti a final, mas acompanhava pelo twitter e pelo blog Te amo, porra, que tá linkado no texto.
      A final eu assisti, torcendo pela Joana o/
      Da Bolina não sei nada, só que também pegava o Adriano, e que galera esperava ver briga entre ela e Joana – quebraram a cara, elas não se estranharam, que estranho, afinal, mulher sempre se odeia, ainda mais por causa de homem… not!!!
      Bjs e volte sempre!!!

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>