Quando as linhas do tempo chegarem ao meu rosto

É bem difícil ( impensável para algumas pessoas na casa dos 20) falar sobre envelhecer. É que o futuro aparenta estar tão distante, quando na verdade, em breve baterá à nossa porta. Implacável, fará com que pensemos se tudo realmente valeu a pena…

Quando esboço imaginar como será o dia em que acumularei muitas primaveras, não vem claramente uma imagem ou muitos desejos em minha mente. As únicas coisas que eu realmente gostaria é: ter boa saúde, para poder fazer tudo que gosto e ter lucidez para poder aproveitar tudo que aprendi e, por que não, aprender mais ainda? Quem disse reinventar-se tem prazo de validade?

Há quem tenha vergonha das rugas que possui e faça de tudo para apagá-las. Há quem ache feia, decrépita e turva demais essa coisa de envelhecer. O mundo insiste em tentar nos convencer, desde cedo, que quem é velh@ já teve seu tempo e não pode mais nada.  Por isso tem tanta gente que faz de tudo para “esconder” a idade, ao invés de mudar a visão que tem dela. Faz plástica o tempo todo, não mostra documento, não comemora aniversário, não ri “porque estraga a pele”, não vive.  E, de quebra, reclama de tudo.

Não aceitar que o tempo vai passar e que a vida sempre vai seguir seu curso, até que ela se esvaia é uma violência contra si mesm@. Que tal tentarmos começar a valorizar cada fase em que estivermos? Viajemos, façamos planos e projetos, conheçamos novas pessoas ou culturas. Vamos começar, desde já a entender cada período da nossa existência. Só não muda o que está morto. E, uma vez que a morte chega… Já não dá mais para tentar nada.

Espero enxergar cada ruguinha da minha pele como uma experiência que valeu a pena. Como uma gargalhada gostosa que dei num momento de alegria. Como cada uma das biscatagis, dos amores, dos amigos.  Ou como um objetivo alcançado. Até mesmo como as lágrimas que tive de derramar um(ns) dia(s) e que tanto me fortaleceram. Quero enxergar essas linhas do tempo que serão gravadas no meu rosto como uma moldura, simbolizando que tudo valeu a pena sim. E muito.

E se você já tem as suas linhas do tempo… Orgulhe-se muito delas. E seja um exemplo para mim e para outros tantos que ainda irão chegar lá!

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

6 ideias sobre “Quando as linhas do tempo chegarem ao meu rosto

  1. Ruguinhas até que ainda não tenho (muitas?) não, mas tenho uma mecha branca nos cabelos da qual me orgulho bastante.
    Parabéns pelo texto. É muito importante falar sobre o envelhecimento. Acho que esse processo ainda é um tanto desconhecido das pessoas.

  2. Adoro minhas rugas, minhas cicatrizes e minhas tatuagens velhas (decidi que eles também tem de envelhecer e não vou retocar). Mas antes tinha muito medo de envelher, de ficar feia. Mas hoje vejo como um presente que deve ser celebrado. Parabéns pelo post lúcido numa época em que se fala em curar a velhice. Um abraço!

  3. lindo, claudia!
    pois então, cultive bem as suas… valerá!
    eu tenho algumas, aquelas que dizem que são de pessoas felizes: os famigerados pés de galinhas!!!! mas tudo bem! adoro pés, adoro galinhas… e adoro rir de coisas bobas e até de mim mesma.
    façamos valer a pena, pois envelhecer hoje em dia é coisa mais moderna que pode nos acontecer.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>