Biscate de Luxo

Nova semana,  novo calendário, nova forma biscate  do nosso club.    Aos domingos, além das  - por assim dizer – “tradicionais” receitas, o Biscate Social Club também  trará, de forma alternada,  a biscatagem na cultura. Novas surpresas ao longo da semana. o/

Por Liliane Gusmão*

Breakfast at Tiffany’s é um filme biscate. Desculpem, mas o titulo em português foi, a meu ver, muito equivocado. Holly Golightlly é qualquer coisa menos uma bonequinha. Ela também não é de luxo. Mas ela é sofisticada e elegantemente biscate.

O filme está cheio de mulheres biscate, que bebem, que fumam, que tem casos extraconjugais, que sustentam seus amantes. Mulheres que não se encaixam no padrão ‘boa moça’, ou ‘mulher de respeito’ de 2012 quem dirá dos anos 60.

Essas mulheres estão protagonizando suas vidas e suas escolhas. Buscando a satisfação sexual que a vida dentro dos padrões não lhes proporcionou. O que pode ser mais biscate do que o inconformismo, do que a busca, do que o questionamento, do que a incerteza?

O filme conta a história dessa mulher que não sabe bem o que quer, mas sabe onde não cabe, o que não é suficiente para ela, onde não quer continuar. O filme conta a história do encontro de dois biscates que se conhecem e se apaixonam por essa sede de aventura ou seria pelo descaso com as convenções, com que vivem suas vidas?

Embora meu coração romanticamente biscate se delicie com o final feliz do filme sei que o personagem de Holly não aceitaria esse final para si, como sabia também o autor da história.

No começo, Audrey ficou insegura se deveria ou não aceitar o papel, ela não era a atriz que o autor da história imaginou para interpretar Holly na adaptação para o cinema. A personagem que ela interpretou não se parecia em nada com ela e o roteiro inicial foi modificado para que ela aceitasse estrelar do filme.

Muito impetuosa, a personagem assustou a atriz tímida e reservada A personagem no livro era uma garota de programa bissexual. A bissexualidade da personagem foi completamente omitida do filme e a prostituição da personagem ficou implícita em apenas uma fala da personagem.

O final feliz do filme também foi à revelia do autor que sabia que a personagem original do livro não sossegaria e continuaria de amor verdadeiro, em amor verdadeiro sem jamais deixar de ser seduzida por outras possibilidades de felicidade reais ou imaginárias.

Apesar de não ser biscate por inteiro em Bonequinha de Luxo, Audrey imortalizou Holly e emprestou seu rosto a uma biscate contida pelo moralismo da época em que o filme foi realizado.

Curiosidade: Breakfast at Tiffany’s é um livro de contos de Truman Capote, um dos maiores escritores americanos, pioneiro no jornalismo literário. Capote também virou filme em 2006, com interpretação brilhante e Oscarizada de Philip Seymour Hoffman.

Liliane Gusmão é brasileira residente no exterior. É feminista, arquiteta, estudante, imigrante, mãe, filha, irmã e mulher. Tem 38 anos, mas, confessa, às vezes parece ter 13 ou 130. Exagerada, rebelde, cansada, impaciente, indecisa. E, acrescentamos, inteligente e terna. É autora do Ponto de Fuga.

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>