O triângulo aponta o caminho

Aviso aos Navegantes:a Renata Lins publicou este post (Meus 50 tons de…) que incendiou a imaginação d@s bisc@s deste nosso querido Club. Decidimos, pois, cada um@ tratar do erotismo como lhe apetece. Inclusos @s convidad@s. Será uma quinzena caliente não lhes parece? 

#Erotismo em Nós
O Triângulo Aponta o Caminho, Niara de Oliveira

Tenho mais facilidade de escrever sobre erotismo ou do erotismo em mim (acho que é a mesma coisa) quando estou solteira (ôpa! spoiler 1). Eu fantasio mais, digo muito mais besteira ao invés de fazer e é assim mesmo, fica muito mais na boca que no sexo em si, é mais pensamento e é mais verbal. Mas o fato de não estar solteira (ôpa! minha alma é da solteirice para sempre, então…) agora não me impede de fantasiar, erotisar e panz… Só diminuiu o ritmo do pensamento e a frequência, enquanto aumentou o ritmo e a frequência da ação. Ainda bem, né? Ui.

Além de andar mais ocupada na cama, ando mais ocupada no trabalho. Peguei um frila na campanha eleitoral (spoiler 2 – meio spoiler, né? mas ninguém precisa saber nomes ou partidos aqui) e passo meus dias com a cabeça ocupada com política e quase todas as noites com o corpo ocupado ou ocupando outro corpo. Enfim… Mas, para alguém que já confessou usar estratégia e ser troska na biscatagem isso não é ruim. Digamos que apenas mudei um pouco o foco, desviei o olhar, a atenção. A sem-vergonhice continua aqui, habitando este corpo e esta mente. Rá!!!

Foi no desenrolar desse trabalho que redescobri a alegria de biscatear no meio da política. Tá, não é biscatagem pra valer, no duro (ai, como eu gostaria de saber de perto da consistência do… bem, deixa pra lá)… É meio que platônico apenas. Atenção, bisc@s: Acabo de inventar a biscatagem platônica! Não sei vocês, mas pra mim erotismo (sem entrar no mérito se é erotismo ou pornografia) precisa de um objeto, de um ser objeto para erotisar.

E o objeto do meu erotismo nesse momento é um candidato, esquerdista e barbudão com uma largura de ombros, amigues, de fazer suspirar. O moço levanta da cadeira quando vai discursar e me leva junto pras alturas. Sabe comé? Ele termina suas intervenções incendiárias dizendo “vamos juntos” e eu sinto vontade de sair correndo na direção dele. Ai, ai… E a bunda? Melhor nem comentar. Já fiz até foto dele de costas. Sabem discurso inflamado? Então… Ele discursa e eu inflamo, molho a calcinha. (spoiler 3)

Dia desses uma colega lá do trabalho (eu trabalho na campanha de outro candidato — spoiler 4) mandou uma foto do barbudão sem camisa. Sério, só penso bobagem desde então. E toda vez que olho a foto imagino um triângulo, com a base explicitando aquela largura toda de ombros e a ponta indicando o caminho da felicidade, que eu imagino deva ser assim… mais inspiradora que todo o resto.

Dá até vontade de perder de vez os limites e lascar um “J’ai envie de toi” (“Tenho vontade de você. Te desejo. Como uma fruta. Pra morder. Pra beliscar. Pra pegar.” — Valeu, Renata!) pro moço.

p.s.1: Qualquer associação da figura do triângulo com o falo não é mera coincidência.

p.s.2: Com tantos spoilers no texto, achei melhor deixar a foto do barbudão esquerdista seminu só no link para não comprometer ninguém. hahahahahahahahahaha

Outros textos da série #Erotismo Em Nós:

Erótico Pornográfico, Bete Davis

Águas Femininas, Sílvia

Espera, Raquel

Inverno, Perséfone

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

16 ideias sobre “O triângulo aponta o caminho

  1. Pingback: Inventário de uma alma rebelde, de bisca |

  2. Pingback: Biscatear é como respirar - Biscate Social ClubBiscate Social Club

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *