Tudo o que você sempre quis saber sobre casas de swing…

…e nunca teve coragem de perguntar!

#WoodyAllenfeelings

Você já teve vontade de ir a uma casa de swing? Se já teve vontade, mas não teve coragem, eu te esclareço como é. Como é que eu sei como é uma casa de swing? Indo a elas, claro. No plural, porque elas são bem diferentes.

Pra começo de conversa, tudo parece uma boate mesmo. Tem música, a depender do tipo de público que frequenta e isso também depende do dia da semana, barra, bebidas, pista de dança e óbvio um pole dance, ou mais de um. Como toda boate é meio escuro lá dentro (ufa).

Mas não é só ir chegando e pagando o ingresso. Aliás, o ingresso já é um caso à parte: costuma ser, em geral, bem caro para homens solteiros – aliás caríssimo; caro para casais e barato ou liberado para solteiras, isso geralemente dependendo do dia da semana. Se for uma casa de swing, digamos, séria, frequentada por casais swingers mesmo (um swing moleque, de raiz), há uma triagem feita pelos donos da casa. O casal deve comprovar o casamento, relação estável ou união estável e passar por uma espécie de entrevista.

E para que essa burocracia? Simples, os swingers, as pessoas que se excitam ao ver o parceiro com outra pessoa e gostam de fazer isso junto e de forma segura querem também conhecer outras pessoas legais e fazer isso de forma frequente. Nas boas cassas do ramo (ui! esse é um texto cheio de boas interjeições!) os grupos, depois de um tempo, se formam  estavelmente e passam – inclusive – a fazer festinhas privê fora dali. Porém, como há uma demanda alta dos homens de ir a casas de swing e eles nem sempre encontram parceiras disponíveis, contratar prostitutas para poder pagar mais barato ou até para poder entrar (em algumas casas, ou em alguns dias, em geral os melhores, homens solteiros são vetados) torna-se uma opção.

E qual o problema de ser uma prostitua, MM? Vocês não são liberais? Sim, somos. O problema da prostituta é que ela não está ali, digamos, com o mesmo fogo e desejo do que alguém que foi sem maiores objetivos financeiros. Ela não tem, necessariamente, essa fantasia e essa disponibilidade. Isso corta o tesão de alguns. Outras pessoas tem preocupações com doenças mesmos. Não vou aprofundar a polêmica. O corrente é: as boas casas de swing tentam sempre vetar a entrada de profissionais do sexo – tanto masculino quanto feminino. Obviamente às vezes o controle falha, mas não por muito tempo. O frequentador assíduo nota logo e em geral o casal montado é convidado a se retirar.

 As casas que já fui tem os seguintes ambientes: – bar- boate- mesinhas- palco- pole dance no palco, darkroom (com ou sem labirinto), salas espalhadas e quartos, pequenos ou grandes, com paredes de vidro ou fechadas – para agradar exibicionistas e voyeurs. Darkroom é literalmente isso um quarto escuro – no caso, bem, bem, bem escuro, mal se enxerga dentro, só se sente as mãos (ai!). Labirinto é um labirinto mesmo – vários cantos com cadeiras, puffes, recamiers, etc., em geral também bem escuro. Óbvio que tá uma suruba lá dentro e ninguém é de ninguém.

 Mas as pessoas das casas de swing são bem mais educadas que as de uma boate, embora esteja todo mundo ali pra isso mesmo, todo mundo é adulto e sabe que ninguém é obrigado a nada.  Você pode ter ido só pra olhar, só pra se exibir,  pode não ter sentido tesão pela pessoa que te canta… e aí que está a diferença de uma balada normal. O approach, digamos, é bem mais direto, mas também o fora é levado com bem mais elegância. O não é respeitado como não, ponto e dificilmente quem foi declinado é insistente. Outra coisa, todo mundo, homens e mulheres, indistintamente, todo mundo anda com camisinha no bolso, e os homens colocam tranquilamente, nem precisa rolar aquele momento em que a gente pergunta – e aí, e a camisinha? Todo mundo usa mesmo.

Também é muito comum que uma grande parte das mulheres do local sejam bi, já os homens…pouquinhos, nem lembro se vi. Se eram bi, não mostravam foram do quarto. Em geral tem festas temáticas – noite da minissaia, noite da máscara, medieval e óbvio, carnaval, ano novo e tal. As bebidas são caras. As camareiras que limpam os quartos depois de cada uso são bem discretas e você mal as vê, os garçons em geral  costumam puxar uns papos, inclusive já bati papo com um que era evangélico (sou dessas, rs).

A primeira vez pode rolar um pânico de – e se eu encontrar alguém conhecido? – bem, como a pessoa ali vai estar fazendo o mesmo que você, desencana e vai. Mas jamais, nunca comente fora dali que viu fulano ou sicrana. A gente sabe como é essa nossa sociedade: todo mundo pode transar, mas o mundo não pode saber que ninguém transa. Um certo sigilo, por princípio, é bem vindo.

 Mas e as pessoas do lugar são bonitas? Bem, sei lá… o que é beleza para você, tem gente normal. Bonito, feio, alto , baixo, gordo, magro, careca, cabeludo, etc. Ou seja, gente de tudo que é jeito. Escolha o que te agrada e lembre-se é permitido declinar o convite para a transa. Aliás, sempre se convida, nunca chega pegando, a não ser no labirinto ou darkroom, e mesmo assim a pessoa pode tirar a sua mão, ok? E engraçado que, na minha experiência, na maioria das vezes, o contato foi feito pela mulher do casal. De todos os casais que ficamos amigos e conversei mais, as mulheres é que tinham a fantasia de conhecer a casa de swing! O que era também o meu caso.

Inclusive é fácil notar quando alguém – geralmente a mulher – foi para cumprir a fantasia do outro e não a sua, em geral rolam ciúmes e emburramentos e costuma resultar em briga. Vi isso muitas vezes. Não estou aqui botando regra, estou aqui contando o que observo. Aliás, como em qualquer outra fantasia ou fetiche, se o desejo não é seu, mas só do outro e você está ali só pra tentar fazer a relação funcionar, para que a pessoa não te abandone, não há entrega, o sexo não fica tão gostoso. Sexo bom, acho eu, é feito com desejo, intensidade e vontade. E o desejo é seu, não do ouro. A fantasia do parceiro pode até se tornara a sua também, mas aí ela também é sua e não somente dele.

 Resumindo: casas de swings são boates onde rola um surubão, em geral são caras e vai gente comum. Tá a  fim? Descubra se tem na sua cidade e se informe sobre as regras da casa e…bon appétit!

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

30 ideias sobre “Tudo o que você sempre quis saber sobre casas de swing…

  1. Adorei o post. E adorei a disposição da autora em colocar no ar a provocação. Como em meu mestrado pesquiso sobre swing e sobre como as mulheres se veem nesse ‘universo’, gostei de ver a autora falando do assunto sem ressalvas, sem mi mi mi.
    Mais um viva! rs.

  2. Poxa… Nadica de nada falando de lésbicas. Tenho curiosidade em saber sobre casas de swing lgbts. E acho que a dúvida que caberia no contexto do texto é: e se for um casal de meninas bisexuais, pode entrar como casal ou entram como mulheres solteiras apenas?

    • olha confesso q vou quinta da semana q vem,to indo por curiosidade sim,mas ainda pra satisfazer a vontade do meu love….to morrendo de vergonha já por anti mão…imagina na hr

  3. eu gostaria muito de freguentar uma casa desas c/ ninha mulher. tenho 48 anos sou bem dotado, minha mulher tam 53, somos muito tarados, mas ela fala em ir mas na hora h fica c/ em cima do muro.

    • Nunca transei com outro senão com meu marido, temos 28 anos de casados, ele tem 60 e eu 45, mas temos muita vontade de fazer um sexo diferente. Meu marido disse pra eu arranjar uma pessoa séria, e que guarde segredo, pra eu transar, ele deixa. Fiquei muito feliz com isso. Mas o problema é a língua do povo que não cabe dentro da boca, por isso ainda não fiz. Qualquer dia desses vamos descobrir uma casa de swing pra gente ir.

  4. Eu ja fui algumas vezes em uma casa de swing na região de campinas sp e adoramos acho que é o melhor lulgar para casais que gostam de aventuras exitantes, acho que os casais que frequenta uma casa de swing nunca mais quer ir nas casas noturnas comum

    • Eu e meu marido gostaríamos de conhecer alguma casa na região de campinas, vai ser a nossa primeira vez, poderiam me recomendar algumas legais pra gente conhecer e se divertir com segurança??!!!!! enviem pro meu e-mail.obrigada

  5. Finalmente encontramos uma matéria que traduz verdadeiramente uma casa de swing.
    Costumamos frequentar **** por ser a mais completa, segura e bem frequentada casa de São Paulo.
    Parabéns pela postagem

    (Editamos o comentário pra não ser considerado publicidade)

  6. Meu namorado tem uma fantasia de me ver com outras garotas, isso acontece numa casa de swing?, na minha primeira vez posso ficar só observando?

  7. Imaginar-se fazendo sexo com outra mulher pode ser apenas uma fantasia e não quer dizer, necessariamente, que você esteja se tornando homo ou bissexual. “A fantasia e curiosidade são prazerosas e saudáveis e não há do que se envergonhar”, . “Uma prática sexual ou outra são apenas experimentações. São os sentimentos a partir dessas experiências é que vão determinar a preferência sexual”.
    (o resto do comentário foi deletado pela gerência do clube por tratar-se de propaganda)

  8. Meu marido,outro dia,me disse q sonhou q eu transava com um cara e ele primeiro olhava e depois entrava na brincadeira.Meu 1°impulso foi,me assustar.Nossa relação sempre foi muito boa.Mas isso despertou nossa curiosidade.Kem sabe um dia vamos…

  9. Olá amigos(a), sou casada e sempre tive vontade de ver meu marido com outra, estou estudando mais sobre o assunto de casas liberais pois fiz a proposta pra ele, de inicio ele se assustou, mais depois de mostrar este site pra ele, ele ficou mais tranquilo e já esta gostando do assunto. Já esta se fantasiando na minha fantasia.
    Não vejo a hora uhuuu. Bjs

  10. “A primeira vez pode rolar um pânico de – e se eu encontrar alguém conhecido? – bem, como a pessoa ali vai estar fazendo o mesmo que você, desencana e vai. Mas jamais, nunca comente fora dali que viu fulano ou sicrana.” – Pois é, agora imagina dar de caras com o teu pai ou a tua mãe… ou quem sabe com o teu filho ou a tua filha!

    • mais vc saiu com outro na frente dele ?como foi oq vc achou ,desculpe pergunta eq meu marido quer me ver transando com outro na frente dele mais não sei se consigo sabe

      • Patrícia,

        entendemos, nesse clube, que as mulheres devem ser senhoras do seu desejo e o gozarem sem serem censuradas ou coagidas. Entendemos assim que para as pessoas que se interessam e se excitam com isso, a prática de vários parceiros, alternância entre eles, etc, é válida e positiva. Por outro lado, se uma mulher não se sente inclinada a uma determinada prática sexual, se não se sente confortável ou interessada, achamos que não deve procurar realizá-la apenas pra satisfazer o parceiro.Entendemos que um motivo válido pra você transar com outros na frente de alguém seria você desejar fazê-lo. Se você não o sente, não há porque fazer isso.

  11. Sou casado ha 8 anos e assisti um filme chamado 2+2 com minha esposa, ficamos interessados no assunto, mais eu do que ela rsrsrs, mas ela não mostrou uma negativa de cara, acho q vai rolar. rsrsrs…disse a ela q tenho a fantasia de transar com mais de uma mulher ao msm tempo.

Deixe uma resposta para Sime Cancelar resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *