Instante

Por Luísa  Molina*, Biscate Convidada

 

(para ler ouvindo “you don’t know me“)

 You don’t know me
Bet you’ll never get to know me
You don’t know me at all…

sombra1

Teria tocado ao longe, ou no inalcançável apartamento vizinho, ou entre aquelas paredes que se dilatavam conforme a sua respiração. Não importava. Tocava ali, nela, seios descobertos diante da janela, e a fumaça…

A língua da noite era afiada, mas macia, e soprava sobre as árvores e entre os vidros: “fulgor”. Tudo ali me entorpecia, tudo era exato e absoluto; __________________; e me soprava calor ao pé do ouvido, o pescoço se virava doce, devagar, as pontas dos cabelos sobre a pele, o arrepio…

Diante da janela ela era tudo aquilo, e era só.

The world is spinning round slowly
There’s nothing you can show me
From behind the wall

O cigarro ardia entre os dedos, e os braços rendidos ao parapeito, na exaustão farta e feliz. Tudo era exato e absoluto.

 “Uma mulher livre…”, eu balbuciava, entre um e outro trago daquela avidez do corpo.

“…Uma mulher livre
É saciada”, e ria.
“Uma mulher livre…” em mim ecoava.

E a língua da noite na minha língua, meu silvo audaz às janelas desconhecidas, e o riso, o riso louco, o riso do corpo nu na madrugada, a saciedade latente no corpo, tudo exato e absoluto.

A mulher se alcança se lança de despe se deita se levanta e segue. Se permite se preenche se dissolve se resolve se refaz. A mulher espreita, escolhe, encontra, entrega, recebe, respira, transpira, segue, refaz. A mulher-corpo, a mulher-âmbito, a mulher-encontro. Tudo é exato e absoluto. Funde-se e confunde-se. Estilhaça-se em mil no fogo e fulgor. É ela, e é o outro, é um no íntimo, no último instante, instância e persistência do corpo, puro suor.

Mas o riso, o riso é só seu.

 

LuisaMolina*Luísa Molina é escorpiana, meândrica, hiperbólica. Tem gosto especial pelos avessos e pouco apetite para meios-termos. Vive a “dor e na delícia de ser o que se é”, escreve em incontáveis cadernos e no fundoinfinito.posterous.com. Viciada em intensidade, descobre, dia a dia, faces de uma alma biscate.

 

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

11 ideias sobre “Instante

  1. Mas o riso é só seu.
    Delícia de texto, Lu.
    Que venham outros, porque escrever no Biscate é uma alegria e um alívio.
    Um se soltar, acho. O coletivo sustenta. E a gente se joga.
    Beijo enorme. Adorei a bio.
    Bem-vinda!

  2. Nossssaaa! Que forte! É prosa? É poesia? Pouco importa. O que importa é que o texto em verso ou em prosa é poético. E traz uma energia que parece vir das vísceras da Terra. Lindo. Gente, está na hora do Biscate transformar esses textos em livros. Palpáveis e virtuais. Eu quero é mais…
    Memélia Moreira

  3. Gostei imensamente do post e gostaria de lê-la mais por aqui. Gostei da forma como as palavras deslizam, provocam, insinuam e se entregam, enfim. Obrigada por este prazer.

  4. Que delícia receber esses comentários!!!
    Agradeço a tods e a cada um(a).
    Foi realmente uma espécie de libertação, esse mergulho amparado no coletivo. (e que coletivo!) Agradeço de-mais a oportunidade e a leitura.
    E será sempre um prazer escrever aqui, sem dúvida. (e quando não há dúvidas – dizem -, há certeza.)
    Beijo grande!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *