O amor comeu meu silêncio

Eu quero. Ele quer. Queremos. Pronto, encontro.

Eu não gosto. Ele adora. Conflito.

Possível solução? Sair correndo pelada arrancando os cabelos e deixar tudo para trás. As rusgas, as irritações, a convivência. Ah, alívio. Mas deixar também o amor, as conversas, os risos e as lágrimas. O doce de leite no café da manhã. O passeio na beira do rio. Tornar memória aquilo que é tão corpóreo. Não, isso não.

amor

Resolver as diferenças. Lembrar das aulas de artes e física e achar o tal ponto de equilíbrio. Doer, chatear, cansar. Diálogo. Respeito. Pontos de vista frente a frente. Encontrar no meio do caminho às vezes pedra, às vezes flor. Fazer as pazes. Matar saudade de um dia. Gozar no meio da tarde enquanto todos trabalham. Poder amar sendo biscate. Amada porque se é biscate.

Saber que não é fácil, se fosse era miojo. Mas miojo é fácil e nem sempre é bom. Galinha à cabidela demora, é difícil, mas é tudo delícia no fim.

Ser dois. Novidade. Ansiedade e paixão. Aprendizado e amor. Querer acertar e errar. Reconhecer que errou e se redimir. Aceitar as desculpas, admitir o perdão. Achar uma flor pequenina que faz sorrir o dia todo. A pedrinha miudinha no caminho não é mais motivo para querer sair dele.

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

Uma ideia sobre “O amor comeu meu silêncio

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *