Poesia e Rap contra a menoridade penal

Por Antonio Miotto*, Biscate Convidado

maioridade_1

Volta e meia a discussão da redução da maioridade penal aparece como a solução para a violência. Mais do que uma solução mágica que não existe, essa discussão traz em si o preconceito social e o racismo estruturais da nossa sociedade embutidos. Recomendamos um excelente texto publicado ano passado no Blogueiras Feministas. Lá, diz a jornalista Cecilia Olliveira:

De 60 milhões de crianças e adolescentes, 60 mil cometem algum tipo de delito, que pode ser desde um furto de um vidro de xampu a um homicídio. Ou seja: 0,1%! O maior número de crimes cometidos é em relação ao patrimônio. No país há NO TOTAL, 1600 homicidas.
Redução da maioridade penal não faz nenhum sentido. É apenas mais uma vertente do “vamos tirar o sofá da sala”. Em média, para cada dez mil adolescentes, entre 12 e 17 anos, há 8,8 cumprindo medida de privação e restrição de liberdade, o que representa 0,09% deste universo. Ou seja, 0,9% do total de adolescentes do país comete delitos e as pessoas querem alterar a vida de 99,1% deles.

Até o ministro da Justiça reconhece que não é solução. José Eduardo Cardozo disse nessa segunda-feira passada, 13 de maio, que reduzir a maioridade penal é “inconstitucional” e só poderia ser feito com uma nova Constituição. Disse ainda que somente mudar a lei “não resolve” o problema de segurança pública e apenas “maquia” a realidade.

E já que a discussão é cíclica e sentimos os Direitos Humanos e garantias individuais em risco nesse momento no país, se iniciou um movimento social para combater a ideia da redução da maioridade penal. Uma campanha está rolando há quase um mês para que rappers e poetas/poetisas gravem vídeos com rap ou rima de protesto sobre o tema. A essa campanha se somaram poetisas e rappers mulheres.

Carol Peixoto, poetiza de rua -- Foto Antonio Miotto

Carol Peixoto, poetiza de rua — Foto Antonio Miotto

Tati Botelho cantando seu rap -- Foto Antonio Miotto

Tati Botelho cantando seu rap — Foto Antonio Miotto

Rap da Luisa Valente:

Rap da Lurdes da Luz:

Rap da Tati Botelho:

E a poesia da Carol Peixoto:

Se você sabe fazer rap e ficou interessado em dar sua contribuição, faça sua rima. Os vídeos podem ser gravados com webcam ou celular, à capela — a ideia é focar na mensagem — e enviar para o email contramaioridadepenal@gmail.com

Redução da maioridade penal é assunto hoje também no Blogueiras Negras. Vai lá conferir o excelente texto da historiadora Letícia Maria, ela até “desenha” e apresenta uma lista de dez motivos para sermos contra a menoridade penal.

.

Toni*Antonio Miotto (Toni) é um paulistano que há 47 anos transita quase que por toda a cidade, historiador por formação, e abraçado profissionalmente a uma lente como giz. Um atento observador social caminhando e pedalando na megacidade com uma câmera na mão, que acredita na integração do sujeito com o seu contexto social.

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

Uma ideia sobre “Poesia e Rap contra a menoridade penal

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *