E do amor gritou-se o escândalo

Não só gritou! O escândalo foi pintado, referendado, imposto pelas armas mais covardes da sociedade: a institucionalidade do Estado. Não que se espere muito dessa entidade, mas se deparar  com o avesso, não é só retrocesso, é escândalo!

E não, não sou algum tipo de pollyanna que acredita na dádiva do estado a nós, pobres mortais, nos relegando meras migalhas e direitos que, cremos, podemos ter! É escândalo e contra o escândalo, a luta! E luta, porque se trata de um problema que vai além do estado, trata-se de um problema de reconhecimento, da eterna questão social do reconhecimento.

Conhecer o outro, entender o outro e ver no outro a mesma capacidade, a mesma possibilidade e a mesma disposição e satisfazer direitos e desejos que vemos em nós. Nisso falhamos e falhamos como sociedade, como grupo! A toda miragem de avanço, o escândalo do retrocesso  se coloca frente pessoas atônitas. Atônitas não por acreditarem não ser possível o retrocesso, mas por vê-lo justo onde se deveria garantir sua eliminação.

Impugnação da habilitação de um Casamento Homoafetivo em Santa Satarina

Impugnação da habilitação de um Casamento Homoafetivo em Santa Catarina

Exemplo recente e indigno disso é o documento acima, que se trata de uma impugnação realizada pelo Ministério Público de uma habilitação de casamento homoafetivo. Alheio à determinação do Conselho Nacional de Justiça de se reconhecer qualquer pedido de união igualitária em território brasileiro, o Ministério Público, por meio de seu representante, caçoa do pedido e o faz, como um Representante do Estado, em um Documento Estado, na própria Atribuição de Estado e aí está o escândalo!

Não se trata dos direitos alheios terem o poder, ou mesmo a pretensão, de se impor e querer modificar as consciências individuais, isso não é possível, nem desejável. Qualquer alienação deve ser rechaçada! O problema está em querer fazer a consciência individual explorar e extrapolar o coletivo, ainda que minoritário e alienar pela violência, ainda que simbólica, da ideologia majoritária.

Nessa mesma ótica escandalosa, mas ainda mais grave, encontra-se a Russia. Envolta novamente na sombria teia do controle íntimo da vida privada e retrocedendo ao ponto de legislar sobre a condição de vida a ser evitada pela população: a homoafetividade.

O protesto das atletas, que se vê na foto abaixo, após receberem a medalha de ouro pelo revezamento 4X100 talvez seja a fotografia que, num futuro próximo, iremos mostrar aos nosso filhos, netos, ou alunos como a imagem mais simbólica da luta contra a opressão do Estado que insiste em perseguir politicamente uma condição. E a pura idéia de aplicação de restrições legais (civis, criminais e políticas) por conta da condição de homossexualidade é o escândalo próprio que há muito pouco nossa acabou de rechaçar.

Beijo-Protesto das Medalhistas Russas em Oposição ao Regime de Contenção à Homoafetividade do Governo Putin

Beijo-Protesto das Medalhistas Russas em Oposição ao Regime de Contenção à Homoafetividade do Governo Putin

Beijem, russas. Beijem, russos. Beijemo-nos, nós, brasileiros. Beije homem com homem, mulher com mulher, homem com mulher. E que o convite abaixo do Laerte seja extensivo a todos, independente de sexo, gênero e orientação, que seja um convite amplo geral irrestrito e biscate! Que nossas demonstrações de amor avancem contra o escândalo, que ele não se pinte em nós!

Solta a Franga - by Laerte Coutinho

Solta a Franga – by Laerte Coutinho

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

5 ideias sobre “E do amor gritou-se o escândalo

  1. Um olhar plural no amor. Um olhar critico, atento , vigilante ao Estado. Cobraremos mudanças, pois
    relacionamento não importo o sexo, e, sim a união de dois corpos no espaço que é chamado vida!
    Eu beijo, Tu beijas, Ele beija…

Deixe uma resposta para Silvia Badim Cancelar resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *