Vergonha dos pés?

Sim, eu calço 40.

Lembro que quando mais jovenzinha, morria de vergonha do tamanho dos meus pés. E os apelidos que os primos colocavam, também não eram nada amigos: lancha, pé de pato, pé chato, pezão e afins igualmente gentis. Isso acabava com a minha já combalida autoestima. Tanto preconceito disfarçado de brincadeira…

Sentia-me o ser mais esquisito do mundo. Um peixe fora d´água. Antes de qualquer coisa em mim, eu só conseguia enxergar o (“imenso”) tamanho deles. Culturalmente, fui bombardeada por imagens de mulheres cuja beleza devia expressar, antes de tudo, “delicadeza e feminilidade”. Não. Meus pés número 40 não combinavam com tal mensagem e eu me sentia a mais embrutecida das criaturas.

Eu não tinha o passaporte para essa “delicadeza”. Cresci complexada, esmagando meus pobres pés em calçados menores e por isso, aguentando estoicamente dores claudicantes ao final do dia. Tudo pra ter a sensação de ser incluída. De pertencer, de caber, de estar autorizada. Por quem?

Foi um processo longo a aceitação dessa parte do meu corpo. Confesso que as leituras feministas me ajudaram bastante. Achava simplesmente libertadora a mensagem de empoderamento do corpo. E é bem por aí mesmo. Assumir seus complexos e averiguar suas infundadas raízes é a melhor forma de desarmar a bomba que mora nesse maldito padrão estético, inalcançável e aprisionador, sobretudo, às mulheres.

Hoje minha visão, ainda bem, é radicalmente outra. Com 1,71 de altura fica difícil calçar 36. Aos poucos assumi que não calço 39 e sim 40. Fronteira essa amarga de atravessar: pequena diferença que faz toda a diferença. Assumir que se calça 40 ou mais é ficar de fora do número que é permitido que se calce (pela indústria). Claro, mulheres só podem ter pés que vão do 35 ao 39!

É justo que eu tenha que esmagar meu pé num calçado 38/39 só pra estar dentro das “opções” que me oferecem? A indústria é que deveria se adaptar ao meu pé e não o meu pé a ela. Afinal, são os meus e outros pezinhos que sustentam esse negócio. Tenho muita dificuldade em achar um sapato que fique bonito e confortável em mim. Para a grande indústria de calçados femininos, sou uma exceção a qual não vale muito a pena investir. Tratada como exceção, é só dificuldades que tenho à vista.

Mas você pode me dizer que existem lojas voltadas pra “pontuações especiais”. Sim, realmente têm. Mas já viram os preços escorchantes que tais lojas praticam? Não dá, me sinto abusada com esse mercado e não posso ser conivente com ele. Muito parecido com o mercado das roupas “plus size”. Outro assalto aos bolsos.

Quero é que as lojas e marcas populares ofereçam pontuações diversas. Do 33 ao 43, seria o ideal (sim, mulheres que calçam abaixo de 35 já encontram também dificuldades). Sabe por quê? Porque os formatos de nossos corpos são diversos e essa diversidade não deveria pagar um preço tão alto para poder reivindicar o que é básico. Nem mais e nem menos.

Pior quando algum vendedor diz: “não quer experimentar o 39? A fôrma é grande!” Aí eu broxo na hora. Putz, imagina se você calça 37 e te empurram um 36? Muito justo, não? Mas isso vive acontecendo comigo.

Se não entro no mercado abusivo das lojas especializadas, como me viro? Bem, o jeito é bater perna mesmo. Vasculhar promoções de sites. Pesquisar até encontrar um espécime raro de número 40 (e sem poder escolher o modelo. Achou? Dê graças a deus e compre!). Algumas lojas recebem tamanhos 40 e às vezes dou sorte de encontra-los, a preços não abusivos. Fico tão feliz quando isso acontece! Sinto-me um pouco mais respeitada e incluída nas minhas diferenças, ainda que não encontre um bom leque de opções pra escolher.

Vergonha dos meus pés? Hoje, nenhuma. Gosto deles, assim, desse jeito, grandinhos e proporcionais pra mim. Minhas neuroses, oh god, agora são outras (risos)…

Compartilhando: Esse texto saiu recentemente no Blogueiras Feministas. Discute super bem as fronteiras entre o estético e o político nos padrões impostos à nós: Autoestima, Feminismo e Contradições de Cada Dia

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

4 ideias sobre “Vergonha dos pés?

  1. Calço 37. Mas sempre fui a “pé de prancha” da casa. A culpa era minha, porque amava andar descalça. Nem é uma pontuação assim tão grande, mas em terra de uma maioria calçando 35, esse era meu apelido. Eu ando pensando muito sobre esse “plus size” também. Nas lojas mais populares, vivem em araras de promoção, sempre roupas feias, “mal talhadas”, restolho de coleções… Nunca o que é o “fashion” é o “plus size”, o que abre mercado para lojas que o fazem em preços exorbitantes. O mesmo com os sapatos. E a pessoa fica pensando que ela é quem tem de se enquadrar.

  2. Quem calça 40 pode até se recusar a pagar caro nas lojas especiais, pois embora seja difícil ainda é possível encontrar tamanho 40 em algumas marcas mais populares, mas e quem calça 42 (meu caso) faz o que? Não tem jeito rsrs. Pago os absurdos 70 reais em rasteirinhas que na Di Santinni custam 20 reais, infelizmente no meu caso não há outra alternativa. Antigamente ainda achava alguns modelos femininos de Havaianas tamanho 41/42 hoje em dia nem isso mais, os preços nas lojas especiais são realmente absurdos, mas admito que pelo menos eles evoluíram muito os modelos antigamente eram uns sapatos grosseiros, feios mesmo, nada femininos. Hoje em dia a variedade é grande, existem modelos delicados, com mais detalhes, e os da moda…

  3. Oi Jeane, eu também calço 40, e o que é pior, meu pé é gordo, então às vezes o 40 não entra. Acho que por isto eu sou tão louca por sapatos. Realmente, os preços são muito altos em relação ao outros, e o modelos costumam ser bem feios. Mas algumas lojas têm modelos bem bacanas. Eu descobri a Carrano, https://www.carrano.com.br, na internet, que além de modelos lindos e boutique on line, tem outlet com preços bem legais. Comprei uma sandalia linda por R$119,00 com frete para MG. A Werner, http://www.wernercalcados.com.br/, também tem boutique on line com sapatos lindos. E também tem outlet. Na Werner eu ainda não comprei, mas vale a pena olhar. Outras lojas na internet é a Dafiti e a Dominio da Moda que tem numeros grandes. A DM Extra é uma das marcas próprias da loja online Domínio da Moda e tem sapatos femininos em tamanhos especiais, nas numerações 41, 42, 43 e 44.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *