Estupro, violência doméstica e ignorância machista

nenhumamulher

É, a recente pesquisa do IPEA tem causado reações fortes da sociedade brasileira, que têm percorrido redes sociais e provocado debates acalorados. De um lado, pessoas indignadas por constatarem numericamente o que temos falado e lutado há tanto tempo aqui neste clube (vejam aqui): vivemos numa sociedade machista onde as mulheres são violadas sexualmente, e essa violência é imputada à mulher pelo seu “comportamento”, sua roupa, ou sua liberdade sexual. Culpabilizamos a mulher pelo estupro. E esse absurdo ficou claro como o sol do meio dia. Estamos tirando o véu que mascara a hipocrisia machista. Resta-nos encarar de frente essa merda toda.

E parece óbvio dizer, mas não é: nenhuma mulher merece ser estuprada. O tamanho da minha saia ou do meu decote não é um convite ao seu olhar e a sua violência machista. Ao seu comentário nojento, ao seu assédio, ao seu toque não consentido, à sua moléstia, à sua agressão, ao seu pau ereto em busca de um prazer que não quer ser compartilhado.cCom roupa ou sem roupa, como nos diz a diva Valeska Popozuda, um estupro NUNCA pode ser justificado pelo comportamento da mulher. Parece óbvio, mas está comprovado que não é.

popozuda

E essa comprovação causa revolta e gerou um movimento grande no facebook, que se espalhou até internacionalmente e ganhou o apoio da Presidente Dilma: #EuNãoMereçoSerEstuprada. Nesta página milhares de mulheres começaram a se manifestar, contando casos de abusos sexuais e estupros, e postando fotos com cartazes de protesto: NÓS NÃO MERECEMOS SER ESTUPRADAS. NENHUMA MULHER MERECE SER ESTUPRADA. E por aí vai.

E então veio o outro lado, feroz, babando, emanando ódio. Homens e mulheres entraram no evento para defender e propagar seu machismo devastador. Fiquei chocada com os comentários que recebi na minha foto, e que li em tantas e tantas postagens. Vejam um exemplo, prendam e respiração e cuidado com o enjoo:

nojo

Não que eu não os soubesse. Mas vê-los ali tão perto, e tão enfáticos, me fizeram crer que a nossa luta é ainda maior do que eu imaginava. Chamaram-me de puta, perguntaram quanto era o programa, teceram comentários nojentos e assediadores. Como se uma puta não merecesse todo respeito. Como se uma puta pudesse ser violada sexualmente. Não senhores machistas e criminosos, não pode. NENHUMA MULHER PODE.

O show de horror percorreu todas as postagens e cantos da página. Comentários machistas, assédios, julgamentos e incitações ao estupro. Culpabilização da mulher pela violência que sofre. Tentativa machista e tolher a mulher e poder violá-la se ela foge de seus padrões. Uma foto que me chocou foi a foto abaixo, dizendo que nenhuma mulher é estuprada lavando louça.

louça

Ora senhores, que machismo desinformado e ignorante! Nunca ouviram falar em violência doméstica? Não sabem que vivemos um feminicídio sem precedentes, onde a cada duas horas uma mulher é morta vítima da violência de gênero no Brasil e que a violência que a mulher sofre dentro de suas casas pelos seus maridos, companheiros ou namorados é a principal causa disso?

Em 2012, dos atendimentos no SUS categorizados como Violência Contra a Mulher (que sabemos que é subnotificado) 65,4% dos casos se enquadram na categoria Violência Doméstica e/ou Sexual e, pasmem, em 80% dos casos reportados o agressor é o próprio parceiro/marido/ou namorado. Então, por favor, não me venham com esse argumento falacioso! Porque nem as mulheres em casa, lavando louça, e se submetendo aos padrões de “bom comportamento” que o patriarcado nos quer impor, estão livres da violência de gênero, incluindo a violência sexual (fonte: mapa de violência contra a mulher, aqui).

Citando o referido mapa, temos: “71,8% dos incidentes acontecendo na própria residência da vítima, permite entender que é no âmbito doméstico onde se gera a maior parte das situações de violência vividas pelas mulheres”.

Mulheres são estupradas, agredidas e mortas dentro de suas casas. Mulheres são estupradas lavando louça, de burca, de calça comprida, de roupa de inverno, coberta até a cabeça. Mulheres são estupradas com roupas decotadas, de biquíni, sem blusa, seminuas, nuas. Mulheres são estupradas de todos os jeitos, de todas as formas, em becos escuros ou dentro de suas casas, na saída da escola, no metrô, no banheiro cheio do bar. Não há desculpa para a violência de gênero a não ser o seu machismo. A culpa do estupro é sempre do agressor.

É hora de gritar ainda mais alto, e se fortalecer ainda mais para a luta: Não passarão! A missão vai ser cumprida! Basta de estupro, basta de feminicídio, basta de violência contra a mulher!

naopassarao

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *