Pequenos prazeres: Palavras

Essa quinzena, nas entrelinhas, tem gemidos baixinhos, suspiros, um tanto de saliva, arrepio na pele, sorriso largo, memórias e desejos. Vem com a gente, conhecer nossos pequenos prazeres biscates

#PequenosPrazeres

relações perigosas

“… as palavras, mesmo chulas, ganhavam contexto, prosa e poesia. Erotismo.”

Não me lembro a idade, nem na verdade o livro.

Mas lembro que ofeguei, escondi, e mais tarde retomei a leitura de um trecho que me arrepiou e estremeceu.

Depois disso, buscar esses pequenos prazeres, fontes de inspiração ou as vezes de uma repulsão magnética, se tornou comum.

Eles estavam onde menos se esperava. Nem tanto nos romances açucarados de banca quanto nos livros de Harold Robbins (esses, misto de fascínio e repulsa). As vezes, entrevisto em O Guarani, ou em Senhora, ou em outro “clássico”.

E quando descobri o reduto das revistas escondidas… bem, digamos que o que era entrevisto se tornou revelado. Mas as figuras explicitas, se excitavam (excitavam!) o corpo, não encantavam a mente tanto quanto as palavras, os relatos, os contos…

livro na cama

De uma outra época, onde existiam revisores,copy desk… as palavras, mesmo chulas, ganhavam contexto, prosa e poesia. Erotismo.

Em “Crônicas de uma namorada“, Zélia Gattai escreve uma ficção fofinha e biscatinha, onde Geana, a protagonista, descobre entre os livros do primo-primeiro amor os livros que vão (começar) ensiná-la a compreender aquela história de amor e sexo e tal.

E em “Julie & Julia”Julie Powell também conta sobre sua descoberta daquele livro, escondido nos pertences dos pais, aquele livro com figuras ilustrativas de homens e mulheres sérios e velhos (para uma adolescente de 14 anos!) que a deixava com o corpo quente e mole.

Hoje as palavras estão aí, jogadas, na rede, e é fácil encontrar um site de “conto erótico”. Difícil as vezes é encontrar o erotismo nas palavras ali jogadas... nada faz sentido nessa frase, cara!

Poesia-Erotica-capa

Mas ainda é possível encontrar pérolas. Encontrar o erotismo explícito em palavras escritas para umedecer, ou no erotismo sutil, que enlanguesce (adoro essa palavra, sempre quis usar!).

Aqui, mesmo, no Biscate. Nessa quinzena especial, a Bia e a Vanessa já deixaram aqui e aqui posts inspiradores, já viu?

Lidas ou ouvidas num contexto digamos, adequado, meras palavras podem me fazer… ahn, ah… você sabe.

😉

lendo na cama 2

 

 

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

2 ideias sobre “Pequenos prazeres: Palavras

  1. Me identifiquei. Especialmente com o começo do texto.

    Porque eu, além de ter passado a infância e a adolescência com zero acesso a material “oficialmente” erótico, sempre fui um leitor voraz. Então, o amor pela leitura se combinou com uma demanda reprimida para criar esse cenário em que bastava um parágrafo, às vezes inocente, mas em que uma palavra interpretada de um certo jeito mudava o tom da coisa, para fazer disparar a imaginação. Daí que algumas das minhas primeiras fantasias sexuais foram com personagens de Machado.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *