Vai Gordinha, delícia

Tenho certeza que muitas pessoas leem o blogs feministas e pensam: UAU que mulherada foda! Tudo empoderada! Se olham no espelho do provador da Mesbla e dizem EU ME AMO e são felizes para sempre. Também têm filhos e casamentos ou parceira ou parceiro perfeitos.

Beeeeemm, nem sempre é assim. É que na verdade a gente acorda descabelada de camisetão furado. Tem que levar filho na escola, o emprego é chato e pra complicar  o espelho da Mesbla te chamou de gorda porque a calça jeans não fechou.

Pois é, é duro ser empoderada sendo gorda: gorda, com um “o” bem grande no meio, nem é gordinha, viu? É uma dificuldade a mais. Ok, tem coisas mais difíceis, tipo sofrer com racismo estrutural e transfobia, mas tem dias que dói e machuca.

Mas a questão é estar num ambiente em que as amigas nos reforçam ao invés de ficar naquela ladainha: “olha emagrecer é força de vontade e questão de saúde e zzzzz”, é um diferencial.  Nesse ambiente de acolhimento em que se respeitam escolhas, desejos, momentos. Se respeita a individualidade. Isso é o que gera um empoderamento diário, isso é que tem sido importante e alimentador para mim. A gente compartilha carinho, aconchego, medos, dúvidas e incertezas, mas estamos juntas.

Colecao-Plus-Size-Girl-With-Curves-Overlicious-4-580x580

 (Abro um enorme parênteses pra avisar que não debaterei neste post sobre “ahhhh mas ser gordo não é saudável etc. etc. etc., reportagens, o globo repórter o MIT,  a revista Nature o escambau demostram que ser gordo …..” Pois é, da minha ficha médica sabemos eu, meu médico e o Dr. House – porque adoro ele, cada doida com  sua mania. Mas enfim, saúde tá ainda bem, brigada. Gordinha, mas com saúde).

Foi nesses papos e aconchegos e reforço e tal que me dei conta que, magra ou gorda, desde sempre me achei feia. Pra você ver que a auto imagem não está somente ligada ao peso real, mas a como nos vemos, e daí fui rever fotos minhas.

E eu era feia nada, era linda. Acho que o que faltou desde a infância foi um reforço positivo de imagem por parte dos meus pais, já que aparência não era um valor na minha casa. Veja bem, não é que seu filho ou filha tenha que ser compatível com algum modelo de beleza para receber esse reforço positivo: isso na verdade tem a ver com carinho e aconchego e nisso meu pais erraram (infelizmente, pais não acertam em tudo). A gente tem é que dizer que  filho é bonito como é, amar e acolher, aconchegar, trazer ao seio. Isso é que reforça a auto estima e a auto imagem.

 E voltando às fotos:  se, objetivamente, eu era linda será que  ainda não sou?  Se eu me sinto hoje linda,  se sou amada e desejada gorda será que não serei amada e desejada mais e de novo? E aí fui pro debate com as amadas e comecei a me arrumar de novo, sabe? Foi me amando mais de novo porque isso estava faltando, eu meter a colher na minha imagem atual. Havia muito aconchego externo, faltava o interno, eu comigo. Faltava auto aceitação.

keep-calm-and-love-a-tattooed-women-with-curves

Acho meio ridículo, mas, enfim, era que aos 40 eu estava pensando, e tô ainda me experimentando. Eu tentei, juro que tentei, ser um feminista desencanada e talz, mas gente… num dou pra isso. Eu nasci perua, sou a única perua da família. Daí que preciso de cabelão, de batonzão, de make. De vestido. Muitos vestidos. De bolsas e sapatos, E colares, e anéis. Ok, comedida, menos, muito menos compradora e consumista que já fui. Mas enfim, voltei a me arrumar do jeito que eu sempre me curti (brigada, Rafa).

E aí saí à caça de blogs de gordinhas que se vestem bem, lojas com roupas pra gordinhas a preços aceitáveis e por aí vai ( tem muitos viu?  Dicas no final do post) e aí resolvi abraçar o projeto #gordinhasexy2016 #agoravai

E deu resultado, depois de um longo e tenebroso inverno já recebi cantadas, olhares ( eles tinham sumido) e me olho no espelho e acho bacana. Mudei eu? Mudei. Mas mudei mais ainda a atitude comigo mesma e isso devo ao reforço (beijos pras amigas e amigos – beijo para Vanessa) ao empoderamento e ao acolhimento de ser amada como se é. Experimentem aí, do jeito de vocês. Love will find a way.  Se amem. E vivam a vida.

 Blogs que curto:

http://juromano.com/

http://www.femmefatalebyjeh.com/

http://gisellafrancisca.com/

http://gordacabelinha.tumblr.com/

http://girlwithcurves.com/

 

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

4 ideias sobre “Vai Gordinha, delícia

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *