De quem é a culpa?

Na semana do julgamento dos assassinos de Elisa Samúdio, a morte de Lucas Fortuna me deixou tristemente abalada. No mesmo dia em que ele morreu, eu estava na mesma praia em que ele foi encontrado, algumas horas depois tomando uma cerveja, sem saber o que tinha acontecido. Na mesa em que eu estava, alguém falou de “ditadura gay”. Apesar de não ser do meu feitio, me levantei e fui tirar fotos da praia, porque naquele dia eu me permiti não entrar na briga. Eu me permiti não me estressar. Aquele era meu dia de descanso e nada ia me tirar isso.

Quando cheguei em casa e soube da morte de Lucas, fiquei com ódio. Ódio de mim que não comprei aquela briga naquelaa praia, e mais ódio da pessoa que vociferou aquelas asneiras. Enquanto lia incrédula a notícia, me dei conta de que a violência brutal que Lucas sofreu não foi cometida apenas pela pessoa, ou pessoas, que lhe tiraram a vida. Foi cometida por aquele homem que disse bem raivoso “que estavam querendo que todo virasse gay no mundo”.

Tentei me lembrar de todas as pessoas que eu já ouvi proferindo coisas do tipo: “se meu filho fosse gay, eu matava”, ou “viadinho”, ou “não gosto de gay”, ou “não sou homofóbico, mas não gosto de ver gays se beijando”, ou “isso foi falta de surra”, ou… Cheguei à conclusão de que cada uma dessas pessoas que recordei de certo modo contribuíram para a morte de Lucas e das outras 30 que aconteceram em Pernambuco pelo mesmo motivo.

Pode ser que quem me disse isso, não seja capaz de agredir fisicamente gays, lésbicas, travestis ou trans*, mas essas suas palavras e seus comportamentos contribuem para fortalecer o machismo e a homofobia. E essa parcela intolerante da sociedade precisa assumir sua responsabilidade nesses crimes. E aí deputados como Jair Bolsonaro ou João Campos estão mais do que incluídos.

E quando ainda estava digerindo a morte de Lucas, vejo uma notícia sobre o julgamento de Bruno e Macarrão, apontados como os assassinos de Elisa Samúdio. Na verdade, vejo a notícia de que o advogado de defesa queria usar uma foto em que Elisa aprece fazendo sexo com os réus como prova. Prova de quê? De que ela fazia ménage à trois e que por isso deveria ser morta?

Aí voltei a me lembrar das coisas que ouvi na época da morte de Elisa sobre sua conduta sexual. “Vadia”, ou “ela tinha um comportamento perigoso”, ou “ela procurou seu fim”, ou “ela era uma puta e teve o que mereceu”, ou… E mais uma vez pensei que essas pessoas contribuem para a morte de mulheres, vítimas de machismo.

Quem matou Elisa? Quem matou Lucas? Ainda que os culpados sejam responsabilizados e paguem por seus crimes, você que continua a fazer piadinha de “viado” ou de “puta”, você que xinga quem é diferente de você, você que deseja a morte de gays e vadias, você matou Elisa e Lucas. Você quer continuar matando? Pois eu torço pela aprovação da PL 122 e para que você seja preso quando fizer qualquer “brincadeirinha” dessa.

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...