Inventário de uma alma rebelde

#Alma Biscate
Por Niara de Oliveira

recorte d'eu, pela lente generosa de um amigo

recorte d’eu, pela lente generosa de um amigo

Por ter colocado o Biscate SC no ar há um ano, poderia, ao escrever sobre minha alma biscate, fazer uma espécie de inventário ou histórico do blog. Cometeria uma indelicadeza ímpar com a Lu e com todxs xs biscas que ajudam a manter essa bagaça diariamente. Mas, não só por isso. Não quero fazer inventário. Pelo menos não do blog. Quero falar de como me sinto quando sento ao computador para escrever aqui. Vou tentar, então, fazer inventário da minha alma biscate, de como sou neste espaço.

Começo dizendo que fiquei toda comovida quando xs biscas escreventes do BSC, ao escolherem um texto de outrx bisca numa espécie de mandala ou amigo-bisca-secreto, escolheram cada um/a um texto meu. Gostei de todos os textos que escrevi aqui, principalmente os que são misturas doidas, confissões e que falam de cinema. Mas apenas o Fernando, bisca convidadx, citou um dos meus queridinhos — estrelinha pra ele! Mas, não vou fazer apenas uma colcha de retalhos citando os posts. Vou justificar a motivação para escrevê-los, porque acho que é aqui que está a minha alma biscate, na motivação, no que empolga, move.

Tiveram textos movidos pela raiva e pela indignação, que foram os mais fáceis de escrever. É como se o que faz a cabeça esquentar e o sangue ferver escorresse pelas veias até a ponta dos dedos. O texto simplesmente flui. Sempre fui adepta das discurseiras, do dedo em riste, do peito estufado de razão. Foi-se a época em que subia no banco para me fazer ouvir melhor, e hoje me restam apenas as redes sociais e os blogues. Rá!

Os textos movidos pela admiração e prazer são os que envolvem, adivinhem..? Po-lí-ti-ca! É fácil escrever sobre política, embora eu fique cheia de #mimimi se vou cometer algum deslize (e eu sempre os cometo). Porque política é isso, erro e acerto, na mesma medida. Nem sempre um, nem sempre o outro, é aprendizado, negociação, mediação e, principalmente, construção. Não existem verdades a serem ditas, mas debate a ser feito (não esqueça de ler os comentários). E como eu gosto disso tudo! Me deleito e me lambuzo toda, como na humilde homenagem a minha musa biscate Pagu, que deu trabalho mas deu muito prazer também.

E quando misturei política com biscatagi não foi nada, porque teve texto que escrevi pura e simplesmente para biscatear. Usei mesmo o espaço para mandar recados, e eles foram recebidos (teve até comentário para comprovar)… Mas, claro que esses eu não vou linkar, até porque estão misturados com as tantas receitas que postei, e das receitas a minha preferida é uma que mistura comida com indignação e o debate sobre valores construídos, e porque além de fazer a receita beuba, eu escrevi o texto beuba, e embriagada estava no encontro lindo com a Lu e na primeira reunião da gerência da biscatagi e naqueles dias de outono em que tudo foi celebração. Teve celebração em outros encontros com a biscatagi escrevente e com a biscatagi da vida, e que tinha até cantada (brega, claro) e que não teve um comentariozinho sequer… #chatiada

Teve texto sobre moda misturado com receita, texto sobre política misturada com gramática, texto sobre outras lutas, paixão pelo futebol, teve receita safada e até gramática biscate…Tiveram os textos escritos a quatro mãos em parceria com a Lu. Três deles foram especiais: Estupro não é sexo (biscatagi séria, porque a violência de gênero é ampla e democrática e é preciso combatê-la SEMPRE), Pingos nos Is, ou o que é ser biscate (serviu para comemorar nosso primeiro mesversário), e o post mais divertido ever de escrever… “Você escolheu errado o seu super-herói” (basta ler para ouvir nossas gargalhadas). Teve texto dolorido também. Em que o debate não foi exatamente fraterno e eu me senti muito sozinha e foi difícil não responder na medida em que sentia atacada. C’est la vie!..

Teve coisa à beça. E sinto que ainda falta muito. Muito do meu ser biscate, das gargalhadas que dou ou da raiva que passo enquanto estou escrevendo e que não consigo colocar em letrinhas no texto, das minhas lutas e indignações tantas… Ainda terá muito de mim por aqui.

Estou/tamos apenas começando. 😛

e se alma biscate tivesse música, essa seria a partitura...

e se alma biscate tivesse música, essa seria a partitura…

~~*~~*~~*~~*~~*~~*~~*~~*~~*~~*~~*~~

EM TEMPO: Aproveitando… Vou escolher agora os textos dxs outros biscates escreventes que mais gostei, um de cada.

Luciana — Não Tem Graça (não tem mesmo, e a Lu desenhou direitinho)

Renata Lima — Biscate Absoluta (para jogar no chão os preconceitos todos)

Cláudia Gavenas — De você para você mesma (porque perde-se o pudor a partir de si)

Silvia Badim — Yes, nós temos barriga! (aceitação é tudo para auto-estima)

Renata Lins — O monstro de olhos verdes (aceitar as contradições é o primeiro passo)

Augusto Mozzein — Antibiscatista (sobre recalques… nossa antítese?)

Raquel Stanick — Tá combinado! (dose homeopática de noção)

Lis Lemos — A escolha de Ana (pingo no i)

Bete Davis — As regrinhas ou você não é o síndico (dose cavalar de noção)

Sara Joker — Só fico com quem eu quero! (uma tonelada de noção)

E repito o trecho que escrevi sobre o texto preferido de biscate convidadx, que serviu como homenagem e agradecimento pela belíssima participação de todxs… Porque amo de verdade esse post e ele é o meu preferido entre todos os textos do BSC:

Nesse um ano de BiscateSC foram muitos os textos que gostei de ler e escrever. O BiscateSC pra mim, para além do trabalho que dá co-gerenciá-lo, é só prazer. Entre os textos dxs biscates convidadxs, dentre os quais tenho que escolher APENAS UM, também foram muitos que se encaixaram na série “os textos que gostaria de ter escrito”. Mas teve um em especial que me ganhou desde o primeiro parágrafo. Quando o terminei de ler, sabia que ficaria para sempre entre os meus favoritos. Não só porque traduz o BiscateSC — o que somos e queremos e o que não somos e o que não queremos –, mas porque aponta para o surgimento da opressão e do machismo nas nossas vidas. Mais do que isso, ele é uma ode à rebelião contra a opressão, de forma prática, concreta. Quer saber como ser uma Mocinha de Valor? Ou melhor, quer saber como NÃO SER uma Mocinha de Valor? A linda da Renata Corrêa ensina de forma clara, direta e objetiva.

Amo vocês tudo, biscas! ♥

Primeiro Aniversário Biscate… ♥

Ai, que susto! Não, pera…

Quando é para comemorar aniversário a gente enfeita a casa e deixa tudo mais colorido e alegre, né? Pois é. Exageramos? Exageramos, êêêê! Pesamos a mão e nossa casa ficou meio over. É FESTA NO APÊ! Essa semana ficaremos com esse visual. A gente aproveita e pergunta o que vocês acham do cara do Club. Gostam mais minimalista, clean como antes ou mais colorido e estiloso?

Bom, a nossa gordinha sexy deu uma saidinha da janela ali de cima porque foi tirar o rest… digo, trocar de roupa para os festejos do níver. Mas fizemos uma fotinha e demos um jeito de mantê-la aqui com a gente.

festa no apê!

Amanhã, 17 de dezembro, o Biscate SC completa um ano de vida. Parece que foi ontem que nos indignamos com aquele post xexelento que tentava nos classificar entre mulheres incríveis e biscates. Fizemos nossa escolha e passamos um ano inteirinho sambando na cara do moralismo e do preconceito. E nessa semana de festa — sim, teremos uma semana inteira de festejos biscates — não será diferente.

No nosso aniversário, óbvio, tem um cantinho especial para os leitores. Queremos saber de quem nos acompanha um dos posts que você realmente gostou nesse um ano de biscatagi. Responda nos comentários aqui, na nossa página no Facebook ou tuíte o link do texto escolhido citando @BiscateSC. Essa ação é específica para as redes sociais e as respostas dos nossos leitores estarão no nosso twitter e facebook.

Fizemos a mesma pergunta, qual melhor post, @s biscas escreventes fix@s numa espécie de mandala ou amigo secreto. Este será o post de amanhã, dia 17 de dezembro, com a seleção dos melhores posts de nossos escreventes escolhidos entre eles mesmos com uma pequena apresentação justificando a escolha.

Na terça-feira (18) faremos uma seleção comentada dos motores de busca do Biscate SC. Afinal, não é só uma curiosidade nossa saber como internautas chegam até nós. Na quarta (19) é a vez dos comentários dxs inúmerxs biscates convidadxs que passaram por aqui nesse ano. Esses recados e comentários estarão disponíveis também na nossa fan page no Facebook.

Na quinta-feira (20) é dia de fazermos um balanço sobre os espaços onde intervimos nesses doze meses e que “mundamos” (verbo novo, criado especialmente para essa festa) neles. Será que o mundo ficou mais biscate? Mundou?

E se o mundo não mundou o suficiente até agora, é hora de darmos uma chacoalhada nele. Na sexta (21), que é dia de gandaia geral, vai ter strip-tease biscate. Uhu! Tirem as crianças da sala, fujam pras montanhas, fechem os olhos se não quiserem ver, mas o time biscate estará aqui, despido, de peito aberto, desavergonhadamente. Será tanto assim? Tanto mais, tanto menos…? Isso, claro, se o mundo não acabar. Ou será que o mundo vai acabar por causa do nosso strip-biscate-coletivo? 😛

previsão para o fim do mundo

previsão do tempo para o dia 21, dia do strip-biscate-coletivo: A TERRA VAI TREMER!

No sábado (22), na ressaca dessa bundalelê todo e do fim do mundo, teremos a melhor parte dessa festa. O título do post e a ordem geral do dia será QUEM AMA O BISCATE LEVANTA A MÃO E DIZ PORQUÊ! Se você nos ama é hora de gritar ao mundo e dizer o porquê. O post será uma coletânea dos comentários e votos de aniversário que receberemos durante a semana aqui, no twitter e facebook. Manifeste seu amor por nós!

E, claro, fica tomo mundo curioso onde vai dar esta bagaça (porque onde cada um@ de nós vai dar é sempre uma surpresa, uma alegria e um prazer)… daí que no domingo (23), já nos 45 minutos do segundo tempo dessa festa de arromba, vamos conhecer o mapa astral do nosso Club. Ou seja, tudo-aquilo-que-você-sempre-quis-saber do Biscate e nunca soube como perguntar (oi, Woody).

Todos os posts especiais da semana estarão reunidos no banner com a nossa gordinha aqui na coluna do lado, bem lá no topo. Ela é anfitriã dessa festa. Acompanhe o agito em #UmAnoBiscateSC

Por fim, resta dizer que finalmente migraremos para o nosso endereço próprio e teremos casa e cara nova. Se não for possível fazer isso logo depois da festa (sabe comé ressaca de festa e tem toda a sujeira para limpar…), do reveillon não passa. E aí já será outra festa…

p.s.: Não, não é mera coincidência o “fim do mundo” colidir com nosso níver… 😀

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...